Veg in Brandemburgo

Quando o verão ainda era uma realidade (pausa dramática), saimos eu e Axel pra um rolê de bike. Essa historia de cicloturismo é uma coisa bem bacana das Europas. Da primeira vez que ouvi falar isso, achei muito curioso e ri a beça, mas quando passei um tempo na Inglaterra, uma alemoa simpática me levou pra uma viagem de um final de semana e achei o maior barato. Desde então, tento não deixar passar uma oportunidade de viajar com bicicleta e a Alemanha é um pequeno paraíso pra essa modalidade, com estradas próprias, alojamento e muita infra estrutura. Vou falar então como um vega se vira no interior da Alemanha, que é bem diferente da realidade bio e vegan de Berlin. Vamos lá?

cicloturismo na alemanha

Pra começo de conversa, eu diria que o interior da Alemanha não é Veg friendly. Dito isso, há duas opções. Uma é pra quem não se incomoda de comer lacteos e ovo. Nesse caso vai ter sim comida durante o caminho, inevitavelmente as opções vão ser pobres em fibra e muito ricas em carboidrato e gordura. Ou seja: não muito saudável. Eu normalmente como bem pouco leite e derivados, mas não sou vegana. Por isso então pelo menos uma vez ao dia comia em um dos restaurantes que encontrava pelo caminhos e olha alguns exemplos do que tinha por lá:

Pelo visto, dá pra notar: NADA vegano. Olha que eu até fiquei feliz pela variedade de escolhas. A grande maioria dos lugares tinha no cardápio uma parte com um ou dois pratos vegetarianos, o que já é uma evolução de outra viagem que fiz, onde comi batata com quark durante 3 dias em seguida. Mesmo assim, pra quem não tá acostumado a comer esse tipo de coisa pesada como eu, por mais que esteja fazendo exercício, acaba pesando no estômago e deixando meio de mau estar…

cicloturismo na alemanha

Pra quem é vegano ou não abre mão de comer direito, tem uma outra alternativa: levar sua comida. Eu fiz isso também e foram as melhores refeições. Não levei muita coisa, só pra um lanche no meio do dia. Tinha caixinha de leite de soja, castanhas, salsicha de tofu defumada, sachê de leite de soja em pó pra colocar no café, barras de cereiais e barras de frutas e pão de cereais que não estraga. Ao lado levamos garrafas de água que enchíamos de manha com metade de suco de maçã e metade de água. Foi muito bom.

cicloturismo na alemanha

Pelo caminho tem sempre uma mesas pra fazer pic nic, normalmente em lugares bonitos com vista legal. O bom é que pode parar quando quiser, sem ficar escravo de achar um lugar. Teve ocasiões sim, em que paramos em um bier garten com super cara simpática e a única coisa que tinha pra comer era batata frita. Pelo fato de ter o lanchinho, acabamos ficanco um pouquinho mais exigentes. Se não tivéssemos nenhuma comida na mala íamos acabar comendo uma besteira dessas e depois ficando pesados demais pra continuar pedalando.

cicloturismo na alemanha

Por fim, se tudo der errado, chover sem parar, não arrumar lugar nenhum pra ficar ou simplesmente cansar dessa história de viajar de bicicleta, lembro que existe a posibilidade de pegar sua bicicleta e voltar pra casa de trem. Sim, os trens regionais, que são os mais lentos que vão parando pelas cidades, tem sempre um compartimento pra levar bicicleta. Mesmo sendo uma entusiasta do cicloturismo, ainda carrego minha preguiça e por isso confesso que nessas viagens costumo voltar o caminho de trem! Dá um misto de deprê e alegria em percorrer em algumas poucas horas o caminho que demorou tipo uma semana pra fazer… De qualquer maneira é uma ótima maneira de conhecer a região, curtir o caminho e até perder umas banhas!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s